Os rizicultores do Vale do Paraíba trabalham com tipos especiais de arroz. Um deles, o arbóreo (para risoto), levou quinze anos de pesquisas para chegar à forma ideal, sem falar no arroz vermelho de genética indiana e o arroz preto com aroma marcante.

Os produtores cultivam, juntos, 200 hectares sem agrotóxicos e obtém níveis de produtividade entre 2,5 e 4 toneladas por hectare.

“A lógica que se reproduz é a mesma do vinho”, observa o dono da Alto do Marins, Felipe Villela, filho de um dos pioneiros das pesquisas com arroz no Brasil:

“O arroz especial entra numa fatia de mercado bem diferente do arroz branco. É gourmet, e também nutricional.”

O Neto, produtor da Alto Marins, nos apresentou suas variedades de arrozes especiais em entrevista. Confira!

Programa de pesquisa Alto do Marins

Atuante no mercado desde 2012, a ‘Alto do Marins’ nasceu do ideal comum, de um grupo de visionários, da região do Vale do Paraíba, ao perceberem o potencial e a originalidade dos produtos que possuíam em mãos.

Inicialmente, apenas o arroz Preto era produzido. Hoje outras quatro variedades são comercializadas, além de dezenas em etapa de experimento e algumas já em fase de reprodução. Uma das características e prioridades da empresa é o “manejo sustentável”, que torna todo o processo de desenvolvimento dos arrozes especiais, até sua chegada à mesa do consumidor, mais saudável.

As técnicas de plantio, utilizadas pelos produtores, e todo o sistema realizado na colheita, secagem, armazenagem, beneficiamento e empacotamento são eficientes e altamente controlados. Isso permite que a empresa obtenha resultados promissores na qualidade de seus produtos, tornando a marca referência no mercado alimentício.

A padronização dos grãos e a garantia da origem tornam-se possíveis devido à centralização e produção limitada, em pequenas propriedades regionais. Outro fato que contribui para a melhor adaptação dos arrozes na região é a combinação do clima e solo, encontrados no Vale do Paraíba, que se destacam comparados a de outros locais do Brasil.

Há 14 anos o programa de pesquisa Alto do Marins é liderado por Omar Vieira Villela, que possui mais de 35 anos de experiência em rizicultura (agricultura do arroz), sendo também um dos pioneiros no desenvolvimento do arroz preto no país.

A intenção da ‘Alto do Marins’, desde seu surgimento, sempre foi de produzir variedades de arrozes especiais, com características gastronômicas únicas, tais como: distinção de aroma, cor, textura e paladares exóticos.

Além disso, a empresa se preocupa em estabelecer com seus clientes parcerias consistentes, fornecendo-lhes produtos com procedência, diretamente do campo, nascidos do requinte e conhecimento de quem vive a rizicultura como forma de arte.

Atualmente seus produtos são comercializados na forma de ‘Granel’ (em sacos de 25 kg) ou ‘Vácuo’ (em embalagens de 1 kg), com possibilidade de envio para qualquer parte do Brasil.


Tags:

Arroz Alto Marins, Ed. de Outono, Feira Livre

Produtos:

Arroz preto, jasmine, basmati e uma variedade exclusiva, mini-arbóreo.