No dia 24 de fevereiro, produtores, chefs, especialistas e amantes da boa comida se reuniram em torno de uma ideia: unir os elos que envolvem o ciclo do alimento formando uma cadeia saudável, deliciosa e de produção local. Assim, a Feira Viva de Verão foi uma verdadeira festa de sabores e saberes. Quer ver? Confira os fatos curiosos sobre os produtos/produtores da Feira Viva:

Azeite fresco é melhor

Guilherme Bruschinini, do Azeite Taguá Extra Virgem, de Cabreúva (SP), conta que o processo de produção faz com que o Taguá tenha uma acidez baixíssima (-0,1%) e seja 100% puro. Além disso, o azeite é produzido a partir das azeitonas Arbequinas e depois, incrementado com o aroma especial de azeitonas dos tipos Arbosana, Koroneiki e Maria da Fé.

“Espremer rápido preserva as propriedades. Na demora, há uma oxidação e o azeite perde riquezas nutricionais. Por isso, o grande desafio hoje é diferenciar o azeite bom. E a Feira Viva é o ambiente que nos permite mostrar isso, trazendo produtos muito valorizados, une pessoas do mesmo nicho, projeta a marca e nos aproxima do público”.

Como nossos avós faziam

Sabe aquela carne de porco tenra, suculenta que os nossos avós faziam na banha? Isso mesmo, na banha, que era como se cozinhava antigamente. Pois bem, esse sabor pode ser rememorado com a carne de porco na lata, produzida artesanalmente há 13 anos pela Xavante Grill, de Divinópolis (MG), do mesmo jeitinho de antigamente e conservada naturalmente na lata com a mesma banha, por até cinco anos sem qualquer aditivo.

“Mostrar nosso produto aqui na Feira Viva para um público que não teria acesso é muito legal. Além disso, agrupa produtores que têm as mesmas dificuldades quanto a legislação, gestão do negócio e venda. A Feira Viva é muito importante para nós”, diz Douglas Tavares, proprietário da Xavante Grill.

Superfruta superdeliciosa

Chocolate é uma unanimidade. Todo mundo ama. Porém, as grandes indústrias ficam com grande parte da produção de cacau brasileira. Além disso, a produção de grande escala faz com que a fruta perca muitas das suas propriedades.

E se tivéssemos uma produção local que nos desse só o que tem de bom do cacau? Temos! Um exemplo é o Ibá Cacau Cru, produzido pela Cooperativa Cabruca, com apenas três ingredientes: cacau cru orgânico, castanha de caju e açúcar de coco. Feito em moinhos de pedra, o produto utiliza cacau cultivado em sistema agroflorestal, ambiente que preserva a floresta.

“O cacau é uma superfruta, um dos alimentos mais potentes. O chocolate produzido pelas grandes indústrias tem propriedades prejudiciais e faz com que se percam os nutrientes do cacau. Nós fazemos um produto delicioso, artesanal, saudável. Para isso, preservamos todas as propriedades da fruta, num processo que dura três dias”, contam Jessica Bouchet e Beatriz de Capua, que puderam oferecer o produto aos visitantes da Feira Viva pela primeira vez.


Tags: